ITÁLIA – 6 Dias, 3 Cidades

A ideia era a mesma de sempre. Pouco tempo, muito para ver e um budget reduzido.

Temos viajado bastante tendo em conta essas premissas e tem resultado incrivelmente bem!

Destino: ITÁLIA

Há já algum tempo que queríamos ir a Itália. Não fomos mais cedo porque, como queríamos fazer as 3 cidades: Veneza, Florença e Roma, pensávamos que seria necessário mais tempo. Após alguma pesquisa, cheguei à conclusão que, se nos focarmos no essencial, podemos bem fazer tudo em apenas 6 dias.


Plano de Viagem

DIA 1. Avião: Lisboa-Milão Bergamo (Because Ryanair, sabem como é); Comboio: Bergamo-Veneza

DIA 2. Veneza

DIA 3. Comboio: Veneza-Florença; Florença

DIA 4. Comboio: Florença-Roma; Roma

DIA 5. Roma

DIA 6. Avião: Roma-Lisboa


DIA 1. Todo o dia em viagens.

Não foi fácil acordar àquelas horas maradas da Ryanair. Por acaso não levámos com aqueles horários tipo 6h30 da manhã. Foi por volta das 8h00, mas mesmo assim, é sempre complicado para um comediante acordar antes do meio-dia…

Chegámos a Bergamo e apanhámos o autocarro para a estação de comboios.

Dica Importante: É importante comprar previamente as viagens de comboio na internet. E como foram compradas na internet, saíram mais barato do que no balcão da estação. Tudo no site da TRENITÁLIA.(A CP de lá)

Apanhámos um comboio regional de Bergamo para Bréscia e depois, o lindíssimo e rápido “Frecciarossa” de Bréscia para a estação Veneza (Sta. Lucia). Todas estas viagens fizeram com que chegássemos a Veneza às 19h00.

Procurámos pela morada do hotel que tinha reservado pelo booking. Houve várias surpresas aí. O hotel não era um hotel… Era sim um conjunto de apartamentos espalhados pela zona (Santa Croce) e por isso, a recepção era num local diferente dessas casas. Ainda assim, tivemos sorte. Ficamos hospedados num apartamento super bem localizado e não fossem duas asiáticas ocuparem o segundo quarto (ps: não eram boas), ficávamos com o apartamento todo para nós.

Depois de bem acomodados, tempo de jantar. Como habitual, procurámos no TripAdvisor locais para jantar. Itália tem das melhores cozinhas do mundo, logo, não há cá McDonalds da vida…

Caímos num restaurante pequeno, de refeições rápidas (mas italianas, claro) muito bom! o PASTA e SUGO que recomendamos pela qualidade das massas e pelo baixo preço!

E pronto, estávamos em Veneza, bem jantados e bem instalados!


Dia 2. Um dia completo em Veneza.

Acordámos pela manhã (9h30) para nos fazer às ruas (canais) de Veneza. A cidade é lindíssima, bem maior do que parecia ao ver no mapa e não sofremos com os mosquitos nem sentimos aquele cheiro característico dos canais (se calhar por ser Outubro).

Ora bem, de manhã visitamos: Campo Santa Margherita, Squero di San Trovaso, Chiesa di Sta. Maria del Rosario, Basilica Di Santa Maria Della Salute, Ponte dell’Accademia, Campo Santo Stefano, Piazza San Marco, Basilica di San Marco, Palazzo Ducale.

O almoço ía sendo espetacular. Optámos por risotto que estava bom… Só um pequeno problema, pagámos o dobro do que tínhamos pensado! 

Depois da Piazza San Marco, numa esplanada junto ao rio, encontrámos o restaurante Al Gabbiano que dizia o seguinte: Specialitá Risotto 18€ (mín 2 pax). O problema foi que, em Portugal temos uma coisa chamada “doses”, em que meia-dose é para uma pessoa e uma dose é para duas. Como vimos “18€ (mín 2 pax)”, pensámos do alto da nossa inteligência: “isto deve ser o preço da dose para duas pessoas”. Só que, em Itália, todos os valores da ementa são individuais.Foi caro, mas o risotto de cogumelos estava incrível!

Tudo somado: PAGÁMOS 18€ CADA UM (mais a bebida, mais o famoso “Cover Charge” que é o serviço do empregado, cobrado por quase todos os estabelecimentos).

Tínhamos muito que digerir e à tarde, visitámos: Parque da cidade de Veneza, Giardini della Biennale Arte, Monumento a Giuseppe Garibaldi, Via Giuseppe Garibaldi, Arsenale di Venezia, Grande Canal, Ponte di Rialto, Mercado di Rialto, Ca’D’oro, Ghetto.

O jantar foi na giríssima e típica pizzaria, Ai Sportivi que tínhamos visto durante o dia perto do hotel. Duas pizzas acompanhadas de um saboroso vinho tinto do norte de Itália. Excelente escolha!

 


Dia 3. Madrugar em Veneza para aproveitar o dia em Florença.

Custou muito acordar às 6h30 da manhã para apanhar o comboio rápido na estação de Veneza às 7h25. Teve mesmo de ser para aproveitarmos o único dia em Florença.

Chegámos à estação de Florença – S. Maria Novella por volta das 9h45. Tínhamos que deixar as malas no hotel e depois sim, tínhamos todo o dia para passear.

Até aqui, nada de mais. O hotel era razoável tendo em conta o seu preço (50€) e localização perto da estação.

Só tínhamos planeado um dia em Florença, por isso, partimos logo à descoberta da cidade.

Visitámos: Basilica di Santa Maria Novella, Piazza di Santa Maria Novella, Ponte Santa Trinita, Ponte Vecchio, Palazzo Pitti, Forte di Belvedere (que estava fechado ao público por estar a decorrer a ante-estreia mundial do filme baseado no romance de Dan Brown, “Inferno”, com a presença de atores e realizador).

Continuando, Piazza della Signoria, Palazzo Vecchio, Loggia del Lanzi, Piazza della Repubblica, Il Duomo.

Para o almoço, a estratégia foi simples. Estávamos no Il Duomo e começámos a caminhar em linha reta e em sentido contrário às zonas turísticas. Uns 100 metros mais à frente encontrámos um restaurante com bom aspeto e preços fantásticos. Para mim, foi uma lasagna à bolognesa. Para a Joana, massa ravioli  recheada de tartufo. Ficámos a conhecer melhor os nossos pratos, depois de falarmos com o dono do restaurante, um chef de origem indiana, muito simpático, e verificámos que tínhamos feito a melhor escolha. Recomendamos! Ristorante The Grill!

Não havia tempo a perder e continuámos a visita: Piazzale Michelangelo, Porta e Torre San Niccolo, Basilica di Santa Croce di Firenze, Piazza di Santa Croce, Basilica di San Lorenzo.

Apetecia-nos jantar massa macaroni (que nada tem que ver com os macarons de paris). Procurámos, mais uma vez no TripAdvisor, um restaurante de macaroni, e tivemos sorte. O restaurante Il Cardellino, não era nada de especial no seu design, mas a qualidade da comida era muito boa. Optámos por “Macaroni al chefe”, uma receita própria muito boa!

Voltámos muito cansados para o nosso hotel. Tomar banho e dormir porque, tínhamos que acordar novamente às 6h30 para ir para Roma.


Dia 4. Acordar cedo, comboio e descobrir Roma!

Chegámos a Roma no comboio rápido “Frecciargento” pelas 10h00. Em relação a Roma, como tínhamos dois dias, decidimos visitar primeiro os pontos turísticos mais espalhados pela cidade e deixar para o segundo dia a zona do império romano.

Deixámos as coisas no acolhedor, hotel Terme di Traiano (a 200 metros do Coliseu) e começámos a visita pelo Vaticano. Um local imponente que transmite uma energia especial.

Continuámos pelo Castel Sant’Angelo, Ponte Sant’Angelo, Percorremos o Rio Tibre até à Piazza del Popolo, Via del Balbuino, Piazza di Spagna, Scalinata di Trinitá dei Monti e Fontana di Trevi.

Já estava na hora do almoço e ao irmos em direção ao “Pantheon”, encontrámos um restaurante muito acolhedor: Ristorante Due Colone. A lista de preços interessantes (e a fome que já era muita) fez-nos entrar. Ficámos muito agradados! Duas bruschettas e duas pizzas a dividir pelos dois. Tudo muito bom e barato! Mais um que recomendamos!

Continuámos o passeio: Fontana del Pantheon, Pantheon, Obelisco della Minerva, Piazza Navona, Sant’Agnese in Agone, Ponte Sisto, Largo di Torre Argentina, Piazza Venezia e Altare della Patria.

Apesar do dia estar ótimo, começou a chover bruscamente! Os indianos vendedores de bugigangas, passaram instantaneamente a vender guarda-chuvas em vez de água e selfie-sticks (Onde tinham o guarda-chuva guardado? Não sei.)

Corremos na chuva até ao hotel e discutimos onde íamos jantar.

Aí, não correu tão bem como habitual. Procurámos refeições baratas na zona do hotel e encontrámos um super bem pontuado no TripAdvisor! o SALENTÓ Street Food. Não era mau, era barato, mas não era bem o que procurávamos.

 


Dia 5. Império Romano.

Hoje era o dia dedicado ao império romano!

Começou com a visita ao coliseu! Decidimos comprar os bilhetes no local e foi um erro. As filas são intermináveis e estivemos em duas (para comprar o bilhete e para entrar no coliseu). Não foi aborrecido porque íamos sendo constantemente abordados por indianos a vender novamente água e selfie-sticks e agentes que garantiam entrada rápida.

Nota: o bilhete para o coliseu dá acesso ao forum romano e vice-versa.

O Coliseu é incrível e valeu bem a pena a espera. A “sala” de espetáculos mais antiga do mundo é também um local que glorificava o derrame de sangue em prol do espetáculo. (não tem piada)

Seguia-se o Forum romano. O local onde viveram todos os imperadores romanos, o local que era o centro do império e, supostamente, o local onde foram criados Remo e Rómulo que sobreviveram na floresta, de acordo com a lenda, amamentando-se das tetas de uma loba. Este episódio foi de tal forma marcante para a cidade de Roma que hoje em dia, a imagem dos irmão Rómulo e Remo a mamar na loba, está representada em diversas zonas da cidade.

Apontamento histórico: Mais tarde, Rómulo, tornou-se o primeiro imperador de Roma

após matar o seu irmão na luta pelo poder.

O Forum romano foi incrível e de uma dimensão que não estávamos à espera! Passámos várias horas a caminhar e a refletir sobre a história que ali se passou. (sim, também reflito)

No forum romano, vimos: Colina do Paladino, Stadio Paladino, Templo di Apollo Palatino, Domus Severiana, Parque Orti Farnesiani, Arco di Tito, Basilica di Santa Francesca Romana, Antiquarium Forense, Basilica Santi Cosma e Damiano, Santa Maria Antiqua, Tempio di Vesta, Tempio di Antonino e Faustina, Tempio del Divo Giulio, Basilica Giulia e Tempio di Saturno. Recomendamos vivamente!

Cansados e famintos depois de tanta caminhada, era tempo de almoçar (quase às 16h00). Subimos uma rua perpendicular ao forum romano, a Via Cavour. Encontrámos um restaurante acolhedor, típico e com alguns apontamentos portugueses. O Ristorante Da Valentino. Escolhemos uns deliciosos canelones. Só não sei é se eram mesmo bons ou estavam bons devido à nossa imensa fome. Ainda assim, recomendamos!

Com a energia reposta, fizemo-nos á estrada pois tínhamos ainda algumas coisas para ver: Forum Traiano, Santa Maria di Loreto, a magnífica Chiesa del Gesú, Campidoglio, Prefeitura Romana, Teatro Marcello, Bocca della Veritá e Circo Massimo.

Estava terminada a lista de coisas a visitar! Conseguimos em apenas 5 dias, ver tudo o que queríamos!

Para nos despedirmos de Itália da melhor forma, decidimos jantar num sítio mais especial.

Não nos podia ter saído melhor! Voltámos à Via Cavour e encontrámos um restaurante cheio da pinta de estilo americano, o La Base, que nos chamou à atenção pela quantidade de pormenores decorativos da sala. Bruschettas deliciosas e Pizza super boa acompanhada por um vinho tinto da região e um Tiramissú  de chorar por mais! Recomendamos muito!


Dia 6. Despedidas.

Último dia. Aquele sentimento de nostalgia já se sentia bem no coração.

Como o voo era à tarde, ainda aproveitámos para rever e despedir dos pontos que mais gostámos e que se encontravam mais próximos do nosso hotel: O Coliseu, Altare della Patria e Campidoglio.

Corremos até à estação de comboios “Roma Termini” para comprar o bilhete de autocarro shuttle “Terravision” para o Aeroporto de Roma-Ciampino. Não ía correndo bem pois o balcão de compra do bilhete era pouco visível e a localização da paragem do autocarro não estava identificada nem próxima. Perguntámos a uns funcionários da estação e lá conseguimos chegar. As filas para entrar eram extensas e tivemos sorte de conseguir entrar no autocarro a tempo. Ufa! Correu tudo bem, portanto.

 

Resumindo, foi uma viagem fantástica, super eficiente pois conseguimos ver tudo o que queríamos e no que toca a culinária (que é fundamental, né?), também! Provámos Tagliatelle, Macaroni, Canelone, Ravioli recheado de tartufo, Lasagna, Risotto, Pizza, Bruschetta, muitos gelados artesanais, vinhos da região e não podia faltar Tiramissú. (Sim, são muitas calorias mas também caminhámos pra caraças!)

 

Itália, vamos ter saudades. Até à próxima.


Números da viagem (Valores para duas pessoas)

Despesas de Viagens e Alojamento – 901,04€ (450,52€ por pessoa)

  • Viagem Ryanair (Lisboa-Milão Bergamo) – 110,14€
  • Combóio Rápido “Frecciarossa” até Veneza – 59,40€
  • Hotel “Ai Tre Punti B&B” (Veneza) (2 noites) – 177€
  • Combóio Rápido “Frecciarossa” até Florença – 88€
  • Hotel “Darius Firenze B&B” (Florença) (1 noite) – 50€
  • Combóio Rápido “Frecciargento” até Roma – 44
  • Hotel “Terme Di Traiano” (Roma) (2 noites) – 232€
  • Transporte Autocarro “Terravision” de Roma para o aeroporto Roma Ciampino – 12€
  • Viagem Ryanair (Roma-Lisboa) – 128,50€

 

Despesas de Consumo – 217,20€ (108,60€ por pessoa)

Dia 1 – 20€

  • Almoço rápido junto à estação de Bergamo- 6€
  • Jantar no “Pasta & Sugo” – 14€

Dia 2 – 68,40€ 

  • Almoço “Ristorante Ai Gabbiano”46,50€
  • Jantar no “Pizzeria Ai Sportivi” – 21,90€

Dia 3 – 39€

  • Almoço “Ristorante The Grill”15,50€
  • Jantar no “Ristorante Il Cardellino” – 23,50€

Dia 4 – 28,80€

  • Almoço “Ristorante Due Colonne”16€
  • Jantar no “Salentó Street Food” – 12,80€

Dia 5 – 61,00€

  • Bilhete “Coliseu” e “Forum Romano” – 19,50€
  • Almoço “Ristorante Da Valentino”15,50€
  • Jantar no “Ristorante La Base” – 26,00€

 


Obrigado terem acompanhado aqui a nossa viagem! Se já foram a esses locais, deixem nos comentários algumas dicas ou coisas que nos tenham escapado! Aos que ainda não foram, não pensem duas vezes!

E que tal isto?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.